Publicado por: Espaco Espiritual | terça-feira, 2 setembro 2014

APOMETRIA

kardec

Apometria: nem Ciência nem Espiritismo

Alexandre Fontes da Fonseca

Fonte: Reformador julho de 2014

A Apometria é uma técnica de desdobramento proposta nos anos 70, que tem como objetivo auxiliar encarnados e desencarnados em seus problemas físicos e espirituais. Através do desdobramento, o Espírito do médium observaria enfermos ou desencarnados, executaria comandos de ação de um dirigente, e descreveria o ambiente espiritual. A técnica envolve práticas materiais como contagem numérica ou geração de ruído, e se baseia na crença de que energias físicas seriam manipuladas na atuação sobre encarnados e desencarnados.

Baseada em conceitos da Física e da Matemática, a Apometria apresenta-se como uma teoria científica avançada, chegando ao ponto de se considerar mais eficaz que o Espiritismo em tarefas como a desobsessão.1 Conforme afirma Kardec, o Espiritismo deve assimilar o progresso da Ciência,1,2 no entanto, alguns companheiros, sem base para analisar a parte científica da Apometria, têm acatado suas práticas, esquecendo-se da orientação dos bons Espíritos de que quando não sabemos avaliar um assunto “melhor é repelir dez verdades do que admitir uma única falsidade, uma só teoria errônea”.3 Também se esqueceram de que essa assimilação pelo Espiritismo só deve ocorrer “desde que [as doutrinas progressistas] hajam assumido o estado de verdades práticas e abandonado o domínio da utopia, sem o que ele [o Espiritismo] se suicidaria”.2 (Destaques nossos.)

Diversos confrades espíritas já falaram 4 e escreveram 5,6,7 sobre os desacordos entre a Doutrina Espírita e as propostas da Apometria. A seguir, enumeramos algumas diferenças entre conceitos espíritas e os da Apometria, bem como um resumo dos seus principais erros científicos:

a) a Apometria adota conceitos esotéricos, por exemplo, o de vários corpos (astral, mental etc.); o Espiritismo adota terminologia simples e de acordo com os fenômenos que podem sustentá-la, como se faz em toda disciplina científica e filosófica. Ele ensina apenas que temos um corpo espiritual, o perispírito, que sobrevive à morte do corpo físico e com o qual nos apresentamos perante desencarnados ou encarnados. Fenômenos de aparições comprovam a existência do perispírito que é responsável, também, pela constatação da individualidade do desencarnado. A respeito, vejamos as palavras de Kardec:

[…] Esse envoltório, denominado perispírito, faz de um ser abstrato, do Espírito, um ser concreto, definido, apreensível pelo pensamento. Torna-o apto a atuar sobre a matéria tangível, conforme se dá com todos os fluidos imponderáveis, que são, como se sabe, os mais poderosos motores. 2

b) a Apometria adota processos de contagem para direcionar energias e agir sobre os desencarnados; o Espiritismo ensina que o pensamento e a vontade são as forças que agem sobre os fluidos espirituais. 2 Gestos e rituais de natureza material não têm o menor efeito sobre os Espíritos desencarnados. 3

c) a Apometria propõe o desdobramento de enfermos encarnados para tratamento no plano espiritual; o Espiritismo não recomenda forçar o desdobramento nem qualquer outro tipo de transe mediúnico nas pessoas que não possuem mediunidade propriamente dita. 3 O objetivo do Espiritismo é a regeneração da humanidade através da transformação moral das pessoas.8 A orientação do Espiritismo para os enfermos do corpo e da alma é o estudo do Evangelho, fluido- terapia, e esforço por sua transformação moral.

d) a Apometria propõe, com suas técnicas, que Espíritos obsessores sejam presos, afastados e movidos para locais ou “dimensões” distantes. Ela considera que suas técnicas, seriam mais eficientes do que o diálogo esclarecedor com os Espíritos obsessores. O Espiritismo ensina que não se pode prender Espíritos desencarnados, e que nenhuma fórmula ou ritual é capaz de intimidá-los. A questão 553, de O livro dos espíritos, 9 esclarece que:

[…] Não há palavra sacramental nenhuma, nenhum sinal cabalístico, nem talismã, que tenha qualquer ação sobre os Espíritos, porquanto estes só são atraídos pelo pensamento e não pelas coisas materiais. (Destaques nossos.)

Kardec, em O evangelho segundo o espiritismo, 10 reafirma:

[…] Qualquer que seja, porém, o caráter do Espírito, nada se obtém, é isto um fato incontestável, pelo constrangimento ou pela ameaça. Toda influência reside no ascendente moral. Outra verdade […] comprovada […], é a completa ineficácia dos exorcismos, fórmulas, palavras sacramentais, amuletos, talismãs, práticas exteriores, ou quaisquer sinais materiais.10 (Destaques nossos.)

Sobre a ação de uma terceira pessoa para ajudar um obsidiado, a questão 476, de O livro dos espíritos, diz que:

[…] quanto mais digna for a pessoa, tanto maior poder terá sobre os Espíritos imperfeitos, para afastá-los, e sobre os bons, para os atrair. […] Qualquer, porém, que seja o caso, aquele que não tiver puro o coração nenhuma influência exercerá. Os bons Espíritos não lhe atendem ao chamado e os maus não o temem. 9

A tarefa de desobsessão espírita está bem sintetizada no item 81, cap. XXVIII, de O evangelho segundo o espiritismo:

[…] necessário, sobretudo, é que se atue sobre o ser inteligente, ao qual importa se possa falar com autoridade, que só existe onde há superioridade moral. Quanto maior for esta, tanto maior será igualmente a autoridade. E não é tudo: para garantir-se a libertação, cumpre induzir o Espírito perverso a renunciar aos seus maus desígnios; fazer que nele despontem o arrependimento e o desejo do bem, por meio de instruções habilmente ministradas, em evocações particulares, objetivando a sua educação moral. Pode-se então lograr a dupla satisfação de libertar um encarnado e de converter um Espírito imperfeito. 10 (Destaques nossos.)

Portanto, a tarefa da desobsessão, segundo o Espiritismo, se baseia no conhecimento espírita e na transformação moral de todos os envolvidos, o que está de acordo com os ensinamentos de Jesus.

e) a Apometria fundamenta seus princípios e técnicas em conceitos da Física; se a Física evoluir, ou se houver erro na forma como seus conceitos foram usados, a teoria da Apometria se desmorona. O Espiritismo não tem seus princípios baseados em conceitos de outras ciências; ele se apoia na Ciência no tocante a questões materiais, mas não a utiliza na formulação dos seus conceitos.

A seguir, analisaremos alguns conceitos científicos da Apometria, cujas referências serão dadas, por falta de espaço, apenas para os detalhes de cada análise científica. Em resumo: uma análise científica consiste na verificação da coerência na utilização dos conceitos científicos (no caso, da Física e da Matemática) e da coerência da teoria em relação a si mesma, isto é, se apresenta contradições com os próprios conceitos e os conceitos científicos.

1) Matéria, Energia e Espaço: a Apometria propõe que matéria se transforma em energia e que energia se transforma em espaço. Segundo as teorias científicas vigentes, “matéria só se transforma em matéria” e a “energia total sempre se conserva”, isto é, ela é a mesma antes e depois de qualquer fenômeno físico. Para mais detalhes, consultar referências. 11 a 15

2) Corpo astral imaterial: a Apometria adota conceitos esotéricos como o de corpo astral. Diz também que além de imaterial e de natureza magnética, o corpo astral “perde energia” chegando a necessitar de “suprimento energético” para sua sustentação, assim como o corpo físico. Em Física, nada pode ser “imaterial” e ter, ao mesmo tempo, “natureza magnética”, ou (o que é ainda menos aceitável) “perder ou ganhar energia”. Somente objetos materiais possuem energia, portanto, só podem trocá-la (ganhá-la ou perdê-la) uns com os outros.

3) Despolarização magnética de estímulos da memória: a Apometria afirma que é possível apagar a memória de encarnados e desencarnados. Os impulsos cerebrais dependem da presença de íons de potássio (K+) e sódio (Na+) nas regiões dentro e fora dos neurônios, o que faz surgir uma diferença de potencial eletrostático (ddp), 16 ou uma polarização eletrostática. Uma despolarização seria a anulação dessa ddp. Infelizmente, não existem dados experimentais que comprovem a perda de memória em encarnados sob ação da Apometria. A incoerência dessa proposta é considerar que desencarnados possam sofrer despolarização de memória, porém, isso não acontece, como dito no item 2, pois o corpo dos Espíritos é imaterial, logo não pode conter íons positivos ou negativos (íons são materiais), não pode possuir uma polarização e, portanto, não pode ser despolarizado. Isso é uma contradição interna da teoria da Apometria.

4) Equação da energia do pensamento: a Apometria propõe uma lei matemática para a energia do pensamento. Ela seria igual ao produto da energia elétrica neuronal (EN) pela energia psíquica (da alma) – elevado à potência v, quando v tende para o infinito. Uma análise matemática dessa lei mostra que a quantidade de energia do pensamento só poderia assumir um dentre quatro valores: a) seria apenas a energia material; b) seria nula; c) seria infinita; ou d) seria indeterminada. Como nenhuma dessas quatro opções tem utilidade real para o entendimento espiritual do pensamento, a lei acima é o que se denomina absurdo matemático, já que não leva a nenhum resultado coerente. Os detalhes dessa análise se encontram nas referências 17 a 19.

5) Tempo e Espaço não existem na dimensão mental: se tempo e espaço não existem na dimensão mental, então a Apometria não pode falar de frequência, vibração e propagação de ondas mentais, pois em Física os conceitos de frequência, vibração e propagação dependem dos conceitos de tempo e espaço. A Apometria também fala da possibilidade de previsão do futuro. Mas, se o tempo não existe na dimensão mental, então como saber se uma percepção (mental) se refere ao passado, presente ou futuro? Se é possível discernir o período de tempo de uma percepção da mente, então o tempo existe na dimensão mental, logo o conceito acima é contraditório.

Há muitos outros erros científicos na teoria da Apometria, como pode ser verificado nas referências 17 a 19. Os que foram citados acima são, porém, suficientes para mostrar que a Apometria não é um avanço científico, não devendo, portanto, ser assimilada pelo Espiritismo.

REFERENCIAS:

1 ENTREVISTA de Divaldo Pereira Franco, ao programa Presença Espírita, Rádio Boa Nova, Guarulhos (SP], ago. 2001. Disponível em: <http://jornalo espirita.blogspot.com.br/2012/02/divaldo-franco-esclarece-sobre.htmb.

2 KARDEC, Allan. A gênese. Trad. Guillon Ribeiro. 53. ed. 1. imp. [Edição Histórica.] Brasília: FEB, 2013. A Gênese segundo o Espiritismo, cap. 1, it. 55; cap. 11, it. 17; Os milagres segundo o Espiritismo, cap. 14, it. Ação dos Espíritos sobre os fluidos…, subit. 14, respectivamente.

3 O Livro dos médiuns. Trad. Guillon Ribeiro. 81. ed. 1. imp. (Edição Histórica.] Brasília: FEB, 2013. pt. 2, cap. 20, it. 230, Erasto; pt. 2, cap. 8; cap. 17, it. 208, respectivamente.

4 ENTREVISTA de 3. R. Teixeira ao periódico O Consolador, 5 jun. 2011. Disponível em: <http://www.oconsoladorcom.br/ano5/212/raulteixeiraresponde.htmb.

5 HESSEN, J. A Apometria e as práticas espíritas. In: 0 Consolador. n. 67, 3 ago. 2008. Disponível em: <http:// www.oconsolador.com.br/ano2/67/ especial.htmb.

6 OLIVEIRA FILHO, A. O. de. Apometria não é Espiritismo. In: O Consolador. n. 130, 25 out. 2009. Disponível em: <http://www.oconsolador.com.br/ ano3/130/especial.html>.

7 SOUSA, G. J. de. Apometria não convém às Casas Espíritas. In: O Consolador. n. 139, 3 jan. 2010. Disponível em: <http://www.oconsolador.com.br/ ano3/139/gebaldo_sousa.html>.

8 KARDEC, Allan. O que ensina o Espiritismo. In: Revista espírita: jornal de estudos psicológicos, ano. 8, n. 8, ago. 1865. Trad. Evandro Noleto Bezerra. 2. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. p. 306.

O livro dos espíritos. Trad.

Guillon Ribeiro. 93. ed. 1. imp. (Edição Histórica.] Brasília: FEB, 2013.

10 , 0 evangelho segundo o espiritismo. Trad. Guillon Ribeiro. 131. ed. 3. imp. (Edição Histórica.] Brasília: FEB, 2013. cap. 28, it. 84, Observação.

11 VALADARES, J. A. O Conceito de Massa. I. Introdução Histórica. In: Revista Brasileira de Ensino de Física, 15, 110,1993.

12 , O Conceito de Massa. II. Análise do Conceito. In: Revista Brasileira de Ensino de Física 15,118,1993.

13 FONSECA, A. F. da. Um Ensaio sobre Matéria e Energia – Parte 1. In: FidelidadESPÍRITA 91, 6 abr. 2010.

14 Um Ensaio sobre Matéria e Energia – Parte 2. In: FidelidadESPÍRITA. 92, 20 mai. 2010.

15 MOREIRA, M. A. 0 Modelo Padrão da Física de Partículas. In: Revista Brasileira de Ensino de Física. 31, 1.306, 2009.

16 Ver, por exemplo, os seguintes sites: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Impul so_nervoso> e <http://www.afh.bio. br/nervoso/nervosol.asp>.

17 FONSECA, A. F. da. Análise Científica da Apometria. In: 0 Consolador. 289, 2 dez. 2012. Disponível em: <http:// www.oconsolador.com.br/ano6/289/ especial.htmb.

18 , Análise Científica dos Fundamentos Teóricos da Apometria. In: 0 Espiritismo na Atualidade. Textos selecionados do 8o Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores em Espiritismo (Lihpe]. Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo Eduardo Carvalho Monteiro (CCDPE-ECM), São Paulo, 2013.

19 , Análise Científica da Teoria da Apometria. FidelidadESPIRITA. 118, 9, 2013.


Recebido de: “Gonzaga”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: